Banner

Estadual

Centro de treinamento de atletismo será implantado na UFRN

Imprimir
PDF

Uma parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) vai implantar na instituição o terceiro polo da Rede Nacional de Treinamento de Atletismo (RNTA). O acordo de cooperação foi assinado na quarta-feira, 26, pela reitora Ângela Maria Paiva Cruz, o gerente nacional da RNTA, Luiz Eduardo Viveiros de Carvalho, e o gerente de alto rendimento da CBAt, Clóvis Franciscon.

Com a implantação do Centro Regional de Treinamento de Atletismo de Natal (CRTA-Natal), a UFRN será um polo de referência em atletismo no Brasil. O Centro vai atuar na capacitação contínua de treinadores e no atendimento de atletas nas categorias mirim, menor e juvenil.

A Rede Nacional de Treinamento de Atletismo é um projeto da CBAt em parceria com o Ministério do Esporte, que busca disseminar métodos de treinamento esportivo para descobrir e desenvolver atletas de alto rendimento. O CRTA-Natal dará suporte à modalidade nas regiões Norte e Nordeste, com vistas a difundir o atletismo, preparar novos talentos esportivos, fortalecer a participação brasileira em eventos internacionais e favorecer as atividades de ensino, pesquisa e extensão, bem como a revelação e o treinamento de atletas da UFRN.

"Esta parceria nos dá melhores condições e diretrizes estruturais, metodológicas e programáticas para a condução do centro de treinamento", afirmou a reitora, Ângela Maria Paiva Cruz.

A universidade disponibilizará a estrutura física existente em suas instalações, enquanto a CBAt fornecerá recursos humanos e os equipamentos necessários para o treinamento e funcionamento da CRTA-Natal. A coordenação ficará a cargo do professor do Departamento de Educação Física da UFRN, José dos Santos Figueiredo.

banner_675x90

Comentários (0)

Assembleia destaca importância da pesquisa para Estado

Imprimir
PDF

Aconteceu na manhã desta quarta-feira, 25, a reunião da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do RN que tratou do tema "Ciência e Tecnologia como fatores do desenvolvimento do RN".

O momento integrou a programação do Dia D da Ciência no RN e contou com a participação de representantes da UFRN, UERN e Fapern. Estiveram presentes os deputados Hermano Morais e Fernando Mineiro.

"O principal fator de desenvolvimento social de uma região é a produção de conhecimento. O contingenciamento em Educação, Ciência e Tecnologia traz grandes prejuízos ao nosso estado, seja economicamente ou na área de recursos humanos, como uma fuga de cérebros do país", afirmou a reitora da UFRN, Ângela Paiva.

O presidente da Comissão endossou a afirmativa. Para Fernando Mineiro, as instituições que fazem pesquisa têm um papel de destaque em termos de políticas públicas sociais. Para ele, a UFRN, UERN e Ufersa integram um grupo de órgãos vitais para o Estado.

banersaomiguel

Comentários (0)

Condições climáticas favorecem chuvas no RN em 2018, diz Emparn

Imprimir
PDF

acudealivio_vinyson

Com as chuvas e o vento forte que estão ocorrendo em parte do Nordeste, os especialistas esperam que o fenômeno La Ninã (que constitui na diminuição da temperatura do Oceano Pacífico) permaneça até meados de 2018. De acordo com a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), essa e outras condições climáticas favorecem a ocorrência de chuvas na no final de 2017 e no início do próximo ano. O estado enfrenta seu sexto consecutivo de seca. Essa é considerada a estiagem mais severa da história.

Segundo Gilmar Bristot, gerente de meteorologia da Emparn, o mês de outubro tem apresentado uma característica climática diferente dos últimos anos, com relação às condições de chuva e temperatura, principalmente na região litorânea. A presença de águas mais frias do que o normal ao longo da faixa equatorial do oceano Pacífico (Lá Niña), tem influenciado na ocorrência de ventos mais forte do que o normal, maior umidade e, consequentemente, mais chuvas.

No interior, em algumas áreas do Alto Oeste, Chapada do Apodi, Seridó e Agreste, também ocorrem pancadas de chuvas ocasionadas por sistemas meteorológicos transientes, como restos de frentes frias e circulação do ar em altos níveis da atmosfera. "A previsão é de permanência do fenômeno pelo menos até meados de 2018, o que indica que não teremos formação de bloqueios ocasionados pelo comportamento do Oceano Pacífico no período chuvoso de 2018, facilitando assim o deslocamento da Zona de Convergência Intertropical (sistema meteorológico que causa as chuvas na Região Nordeste no período de fevereiro a maio) para próximo do Nordeste Brasileiro nos meses de fevereiro a maio de 2018", informou.

Com informações do G1

bannerpostagensumacasa

Comentários (0)

XXIII Cientec da UFRN começa nesta quarta-feira

Imprimir
PDF

A XXIII Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura (Cientec), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começa nesta quarta-feira, 25, a partir das 8h, com programação completa que inclui estandes, sessão de pôsteres, reuniões acadêmicas e eventos paralelos, além de atrações culturais em diferentes polos do Campus Central.

A cerimônia de boas vindas será às 19h, ocasião em que haverá o lançamento da plataforma da Campanha de Eficiência Energética da UFRN, seguida pelas apresentações culturais do grupo TrompeteArte e dos músicos Sami Tarik e Xangai.

A sessão de pôsteres e os estandes serão realizados na Praça Cívica do Campus Central. As reuniões acadêmicas que abordam diversas áreas do conhecimento em mesas-redondas, oficinas, palestras e minicursos, acontecem nos centros acadêmicos, departamentos, institutos, na Escola de Música e na Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM).

A programação completa da Cientec 2017 está disponível no site.

Comentários (0)

BNB tem o menor número de reclamações entre instituições com mais de 4 milhões de clientes

Imprimir
PDF

banco-do-nordeste_logoO Banco do Nordeste apresentou o menor número de reclamações entre Bancos e financeiras com mais de 4 milhões de clientes, no terceiro trimestre de 2017. No ranking, elaborado pelo Banco Central, desde o início do ano o BNB figura com o menor número de reclamações consideradas procedentes.

O ranking é formado a partir das demandas registradas pelo público e considera bancos comerciais, múltiplos, cooperativos, de investimento, filiais dos bancos estrangeiros, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento (SCFI) e administradoras de consórcio.

O cálculo é feito a partir das demandas registradas pela internet, correspondência, telefone ou de forma presencial no Banco Central, realizado a partir do número de reclamações multiplicado por 1 milhão e dividido pela quantidade de clientes de cada instituição. No terceiro trimestre, o índice do BNB foi 0,32 (contra 41,16 do banco mais reclamado). As informações estão no site do Bacen.

IMG-20171205-WA0069

Comentários (0)