Banner

Estadual

Decisão do TRT-Rn impede CBF de agendar jogos entre 11h e 14h em todo o país

Imprimir
PDF

Em audiência realizada na manhã desta terça-feira (13), na 1ª Vara do Trabalho de Natal, a juíza do trabalho Marcella Alves de Vilar julgou procedentes em parte os pedidos da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT/RN) contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A juíza determinou que a CBF se abstenha de agendar jogos oficiais de futebol entre as 11h e 14h, em todo o território nacional, incluídos os campeonatos de todas as séries.

De acordo com a decisão, partidas no intervalo de horário citado poderão ser agendadas somente com a comprovação dos seguintes requisitos: a) monitoramento da temperatura ambiental em todas as partidas realizadas no período com índices componentes do IBUTG (WBGT) por profissionais qualificados; b) a partir de 25º WBGT, realização de duas paradas médicas para hidratação de 3 minutos, aos 30 min e 75 min da partida; c) a partir de 28º WBGT, interrupção do jogo pelo tempo necessário à redução da temperatura ambiental ou a sua suspensão total.

A decisão da 1ª Vara do Trabalho de Natal teve como base denúncia do Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do RN ao MPT do Rio Grande do Norte quando enviou ao órgão abaixo-assinados dos jogadores dos times de Natal, ABC e América. Neles, os atletas alertavam que "é crível supor que nestas condições não estaremos livres de irremediável fatalidade no campo de jogo", referindo-se ao horário das partidas.

Dentre os argumentos utilizados, o MPT/RN citou estudos que apontam os prejuízos à saúde do jogador profissional de futebol quando submetido à prática do esporte em temperaturas elevadas e exposto aos raios ultravioletas naquele horário.

banner_carloschagas

Comentários (0)

Sesc leva programação ao FLIN 2016

Imprimir
PDF

Sonho_de_RabecaA literatura será destaque durante o Festival Literário de Natal (FLIN), que acontece entre os dias 14 de 17 de dezembro na Praça Augusto Severo, Ribeira. Pelo segundo ano consecutivo, o Sistema Fecomércio, por meio do Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (Sesc RN), apoia o festival, levando atrações como bate-papos com escritores locais e nacionais, contação de histórias, espetáculos teatrais, cinema e a biblioteca móvel BiblioSesc.

A programação do Sesc no FLIN 2016 tem início na quinta-feira (15) com os espetáculos "Um sonho de Rabeca no Reino da Bicharada", encenado pelo grupo Estação de Teatro (RN), e "Histórias e Violas", encenado pelo contador Vinicius Viramundo (PE); Além disso, o Sesc exibirá três filmes selecionados pela Mostra Sesc de Cinema Potiguar: "O menino do dente de ouro", "Operação plástica" e "Abraço de maré".

Na sexta-feira (16), a animação das crianças fica por conta da contação de histórias com Nara Kelly e José Acaci. Outro destaque serão os bate-papos sobre ilustração com Raissa Bulhões (RN) e Veruscka Guerra (PB) e sobre literatura infantil com Adriano Gomes (RN), Salizete Freire (RN) e Drika Duarte (RN), ambos serão mediados pelo jornalista e escritor potiguar José de Castro.

A programação encerra na sexta-feira com o lançamento do livro "O Menino Pensador" de Salizete Freire, no Espaço Editora Paulus, a partir das 16h. Além disso, a BiblioSesc estará estacionada no local durante os quatro dias, com mais de três mil títulos para consultas e empréstimos, entre livros, revistas e jornais.

Para conferir a programação completo do Sesc RN no FLIN, acesse www.sescrn.com.br. 

SANTACRUZ460X67-adek

Comentários (0)

MPF obtém afastamento liminar do prefeito de Marcelino Vieira

Imprimir
PDF

O prefeito do município de Marcelino Vieira, José Ferrari de Oliveira, a secretária de saúde, Francisca Samara de Aquino Oliveira, e outros dois servidores do município estão afastados do cargo por decisão da 12ª Vara da Justiça Federal. A decisão atende a pedido do Ministério Público Federal (MPF) em Pau dos Ferros, feito em ação de improbidade administrativa, ajuizada em novembro. Maria Ozilene Carvalho da Costa Oliveira também já havia sido afastada do cargo de secretária de saúde em processo antecedente (0800228-12.2016.4.05.8404).

O afastamento tem por objetivo garantir a instrução da ação, em razão de desvios e malversação de recursos do Fundo de Saúde pelos agentes públicos municipais. De acordo com a ação do MPF, as irregularidades permitiram o enriquecimento ilícito da Liga de Assistência Social Paróquia de Marcelino Vieira (Liga), entidade particular, de seus dirigentes e de terceiros.

As investigações levaram à descoberta de desvios do FMS para a Liga de três formas. Havia pagamentos mensais de autorizações de internações hospitalares (AIHs) em quantidades que não representavam a realidade, por terem sido falsificadas. Também foi descoberto que a remuneração de algumas empregadas da Liga, entidade particular, era paga com recursos destinados à Estratégia Saúde da Família. Apurou-se que integrantes da administração pública municipal, com aval do prefeito, obrigavam as auxiliares de enfermagem ESF a dividirem ao meio sua remuneração de R$ 1.300,00 com algumas empregadas da Liga e, assim, ocultar a irregularidade.

Descobriu-se, ainda, que profissionais da ESF – remunerados com recursos de origem federal – eram designados para trabalhar por tempo superior ao permitido no Hospital Padre Agnelo Fernandes, da Liga, em prejuízo da atenção básica em saúde. A Política Nacional de Atenção Básica só permite a dedicação de até 8h na rede de urgência municipal. O MPF constatou que a então secretária de saúde, Maria Ozilene, simultaneamente administrava a Liga junto com seu marido Raimundo Nonato de Oliveira, conduta vedada pela legislação, viabilizando as fraudes. A petição aponta que Liga não tem sócios conhecidos, o casal havia se apropriado dela e vinha obtendo enriquecimento ilícito.

ARTE_PARA_BLOG

Comentários (0)

Conheça os filmes premiados na III mostra de cinema Ancorá 2016

Imprimir
PDF

III_Ancor_2016_publicoA Mostra Competitiva Nacional que marcou o último dia de atividades do III Ancorá - Curta Ambiental Nordeste Cerro Corá 2016 foi realizada neste sábado (10). Os competidores tinham que produzir curtas-metragens em consonância com o tema da mostra: "Biomas Brasileiros". O objetivo do festival é aumentar a produção e a circulação de conteúdo audiovisual, diversificado e de qualidade, além de contribuir para o processo de interiorização do cinema no Rio Grande do Norte.

Dentre os escolhidos pela curadoria, o filme "Respire", do diretor Kaiony Venâncio, ficou com o primeiro lugar. "Realizei uma pesquisa sobre a temática do festival para exibir de forma poética os perigos da degradação dos ecossistemas para o planeta. Já é uma vitória ter sido selecionado. Posso dizer que ganhar um festival é uma experiência inesquecível e altamente motivadora", comemorou Kaiony.

Já na Mostra Competitiva Estudantil, que aconteceu na sexta-feira (9), o vencedor foi o filme "Meu Pé de Umbuzeiro", do Cineclube Cerro Corá. As estudantes Sonaly Silva do Nascimento e Mayane de Lima destacaram a emoção de vencer o Ancorá. "O umbuzeiro é um símbolo da flora nordestina e serviu de inspiração para o curta. Estamos muito felizes com o resultado positivo". Enquanto isso, os alunos da Escola Municipal Belmira Viana receberam o Prêmio Menção Honrosa pelo filme "Caatinga Bioma Brasileiro".

De acordo com o jornalista e realizador audiovisual Paulo Dumaresq, que participou da mesa julgadora, disse que a iniciativa não se resume a descobrir talentos, também estimula os jovens da cidade de Cerro Corá a realizar algo novo. "É uma oportunidade dos estudantes da cidade conhecerem os trabalhos dos  profissionais da sétima arte e aprenderem com eles. A mostra possibilita a criação, reflexão e difusão do cinema nas escolas", ressaltou Dumaresq.

O Ancorá é um projeto da CASU Filmes e ONG Navima, e para esta terceira edição conta com o patrocínio da Força Eólica do Brasil; e com o apoio da Prefeitura Municipal de Cerro Corá, do Sebrae/RN, da Pousada Colina dos Flamboyants e da Água Mineral Santa Maria.

banner_carloschagas

Comentários (0)

Festival Ancorá reúne nomes importantes do cinema potiguar em sua terceira edição

Imprimir
PDF

Equipe_organizadora_participantes_de_oficinas_e_cinfolosOs encontros e as intersecções entre cinema e educação marcaram o III Ancorá - Curta Ambiental Nordeste Cerro Corá 2016, que entre os dias 8 e 10 de dezembro leva a magia da sétima arte para a região serrana do Seridó. O festival tem o objetivo de valorizar a produção local, com a mostra de curtas-metragens produzidos por estudantes do município, além de contribuir para um processo de interiorização do cinema.

Coordenado por Suerda Morais, Rose Dantas e Cássio Hazim, o evento aborda o tema "Biomas Brasileiros" e reúne nomes de peso do cinema potiguar como o jornalista e realizador audiovisual Paulo Dumaresq e o fotógrafo Alex Régis, que dirigiram o longa-metragem "Passo da Pátria-Porto dos Destinos". Também marcam presença os renomados cineastas Carlos Tourinho e Josenira Holanda.

A Mostra Competitiva Estudantil agitou a sexta-feira (9) com a exibição dos curtas "Sobrevivência", da Escola Municipal Sebastiana Nôga, "Caatinga Seca", da Escola Estadual Querubina Silveira e Meu Pé de Umbuzeiro, do Cineclube Cerro Corá, que ficou em primeiro lugar. Sonaly Silva do Nascimento e Mayane de Lima destacaram a emoção de vencer um festival. "O umbuzeiro é um símbolo da flora nordestina e serviu de inspiração para o filme. Estamos muito felizes com o resultado positivo", comemoraram.

SANTACRUZ460X67-adek

Comentários (0)